quarta-feira, 30 de março de 2011

IMUNÓGENOS, ANTÍGENOS, EPÍTOPOS E HAPTENOS

Definindo...
1. IMUNÓGENO:
É uma substância capaz de induz uma imunidade específica.

2. ANTÍGENO:
É uma substâncias que reage com os produtos de uma resposta imune específica, sendo portanto o alavo da resposta.

3.  EPÍTOPO:

É a porção limitada da molécula reconhecida pelos receptores de antígenos

4. HAPTENO:
Possuem baixo peso molecular e simplicidade química. São substâncias que se ligam a proteínas carreadoras de alto peso molecular para assim serem capazes de induzir uma resposta imunológica, sendo portanto, um imunógeno.



                          DETERMINANTES DA IMUNOGENICIDADE


  • Estranheza
  • Alto peso molecular
  • Complexidade química
  • degradabilidade

                    
                         REATIVIDADE IMUNOGÊNICA CRUZADA

      É a reação que ocorre quando componentes do sistema imune (células ou anticorpos) reagem com 2 moléculas que compartilham epítopos, mas são diferentes em outros aspectos. 
      Uma toxina que foi modificada até o ponto de deixar de ser tóxica, mas ainda mantém algumas de suas características imunogênicas é um toxóide, e apresenta uma reação imunológica cruzada com a toxina. Assim, é possível imunizar indivíduos utilizando o toxóide e induzir a resposta imune contra algum dos epítopos que o toxóide ainda compartilha com a toxina nativa, porque estes não são destruídos pela modificação. Toxina e toxóide compartilham epítopos em número suficiente para permitir que a resposta imune nativa contra o toxóide gere uma defesa eficiente contra a própria toxina.


                       ADJUVANTES IMUNOLÓGICOS

   São substâncias que aumentam a resposta imune contra um imunógeno quando misturada e este, mas não confere imunogenicidade a haptenos.



Comentários...

  • Eventualmente, o elemento que desencadeia a resposta é o alvo, mas nem sempre o alvo é o mesmo elemento que induziu a resposta. Assim, existem muitos compostos incapazes de induzir uma resposta imunológica, mas que são aptos a se ligar a determinados componentes do sistema imune que foram eficientemente induzidos contra ele. 

  • O antígeno é reconhecido a partir de uma pequena porção chamada epítopo, a qual é associada ao MHC para então ser reconhecido pelo receptor de células T (TCR). No linfonodo, a porção do antígeno vai ativar os Linfócitos T a sofrerem proliferação (expansão clonal)  e diferenciação em células T efetoras e células T de memória, e no Linfócito B, a produção de anticorpos. Posteriormente, os linfócitos T efetores e os anticorpos produzidos pelos linfócitos B vão para o tecido eliminar o antígeno. As células T de memória vão para os tecidos e órgãos linfóides secundários e preparação para a próxima infecção.

  • Na resposta policlonal, vários tipos de anticorpos são produzidos contra epítopos diferentes, pois um mesmo antígeno pode possuir vários determinantes antigênicos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário